Total de visualizações de página

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Infectologia

Doenças causadas por bácterias:
  •  Hanseníase
  •  Cólera
  •  Coqueluxe
  •  Difteria
  • Febre Tifóide
  • Leptospirose
  • Tétano
  •  TB Pulmonar
  • Sífilis
  •  Gonorréia
  • Linfogranuloma venéreo

Doenças causadas por vírus:
  • Sarampo
  •  Varicela
  •  Poliomelite
  •  Raiva
  •  Dengue
  •  Hepatite A
  •  Hepatite B
  •  Rubéola
  • Molusco contagioso

Causadas por protozoários:

  •  Chagas
  • Toxoplasmose
  • Malária
  • Leishmaniose visceral ou Calazar
  •  Leishmaniose tegumentar
     
    Causadas por fungos:
    • Criptococose
    • Paracoccideoidomiocose


    Hanseníase
    O Brasil tem o compromisso internacional de erradicar a Hanseníase

     Hanseníase é uma doença infecciosa crônica transmissível. A transmissão ocorre pelo trato respiratório.
    A bactéria causadora da Hanseníase, Mycobacterium Leprae, tem afinidade pelo tegumento e sistema nervoso periférico (células de Schawann).
    Características: bacilo intracelular, álcool ácido resistente. É uma doença de alta infectividade. Alta virulência e baixa patogênicidade.
     O reservatório é o homem, a transmissão como já dito é por via respiratória. Tem um período de incubação de 2 a 5 anos. Porta de entrada trato respiratório e hospedeiro suscetível o homem.
    Classificações existentes:
     Indeterminada
     Tuberculóide
     Dimorfa
     Virchowiana
     Indeterminada: ocorre uma mácula hipocrômica ou eritematosa, única ou em pequeno número. Hipoestasia em face membros e tronco. A baciloscopia se mostra negativa.
     Tuberculóide: Ocorre mácula eritematosa, única ou em pequeno número. Perda da sensibilidade em qualquer parte do corpo. Comprometimento dos nervos periféricos.
     Dimorfa: Placa eritematosa, com limites mal definidos, instabilidade do quadro clínico. A baciloscopia se pode se mostrar positiva.
     Virchowiana: Máculas hipocrômicas, hipoestésicas, com limites mal definidos. Grande número de placas eritematosas infiltradas, comprometimento dos nervos periféricos e mucosa. A baciloscopia se mostra positiva.

    O Tratamento da Hanseníse e cura pode ocorrer em qualquer fase, porém os comprometimentos já adquiridos permanecem.

    É realizado teste da sensibilidade: Térmico, doloroso, tátil.
     Baciloscopia de diferentes locais ( diretamente da lesão, do lobo auricular e cotovelo).
     Resultado: paubacilar: nenhum bacilo é encontrado (ocorre nas formas tuberculóde e indeterminada), o tratamento é de até 6 meses.
     Multibacilares: um ou mais bacilo em pelo menos um esfregaço (formas dimorfa e virchowiana), o tratamento dura de 18 a 24 meses.
    Teste de Mitsuda: Causas neurais sem lesão cutânea, 1 ml ID. Leitura de 21 a 28 dias. Se negativo (paucibacilar) aparecem nódulos menores de 5 mm, se positivo (multibacilar) aparecem nódulos maiores que 5 m. O teste é realizada para escolher o tipo de tratamento.


    Meningite

    A meningite é um processo inflamatório do espaço subaracnóideo e das membranas leptomeningeas 
    (pia aracnóide) que envolve o encéfalo e medula espinhal.  A infecção pode atingir o sistema nervoso central. O omprometimento do SNC pode ser agudo quando a doença tiver sido causada por batéria ou vírus, e crônia quando por protozoários, espiroquetas, helmintos, fungos e micobactérias.
    Meningite asséptica: Ocorre aumento discreto das células, causada pelos vírus da varicela, raiva, sarampo, pelos fungos da histoplasmose e criptoparoccoco, pela bactéria mycobacterium tuberculosis.
    O LCR tem aspecto límpido, levemente alterado.
    Meningite purulenta ou bacteriana: Causada pelas bactérias Neisseria Meningitides, Haemophilus influenzae, Streptococus pneumonae. O LCR se apresenta com aspecto apalescente.
    Apenas a meningite purulenta requer isolamento respiratório por goticula durante 24 após introduzir o antibiótico.
    Tratamento: o medicamento depende do agente infeccioso, hifratação, combate a febre e toxemia, permeabilidade das vias aéreas superiores.


    DST/ Aids

     Doenças essêncialmente transmitidas por contato sexual: sífilis, gonorreia, concro mole, linfogranuloma venéreo.
     Doenças frequentemente transmitidas por contato sexual, mas não somente: Donovanose, uretrite não gonocóccica, herpes simples genital, condiloma acuminado, fitiríase, Hepatite B e C, Aids.
    Doenças raramente transmitidas por contato sexual: molusco contagioso, escabiose, Shiguelose, amebíase.

    Sífilis



    Doença infecciosa crônica, de trasmissão sexual, eventualmente transplacentária. Agente treponema pallidum.

    Fases

     Primária: 2 a 3 semanas após a penetração da bácteria surge no local uma pápula eritematosa com cerca de 2 cm, denominada concro duro, indolor, com concistência dura. Quando não tratada o cancro evolui em 2 ou 3 semanas sem deixar cicatrizes.
     Secundária: Em 6 a 8 semanas após o desaparecimento do cancro duro ocorrem múltiplas lesões maculopapulosas de até 1 cm, que acometem também a palma das mãos e a planta dos pés denominadas roséolas sifilíticas.
     Terciária maligna precoce: resposta imune com destruição tissular, com vasculite obliterante de vasos de médio calibre, úlceras e necrose em face e couro cabeludo.
    Terciária maligna tardia: 2 meses a 30 anos, aparecem desde lesões cutâneas até lesões neurológicas, cardiovasculares e viscerais graves.

     Gonorréia (Blenorragia, gota matutina, pinga dura)


    Causada pela Neisseria Gonorrhoeae (G-), tem um período de incubação de 2 a 5 dias. Trasmissível essêncialmente pela relação sexual.
    Sintomas no homem: processo inflamatório da uretra, eiritema, corrimento uretral, ardor ao urinar, urgência miccional.
    Sintomas na mulher: Pouco sintomático, corrimento vaginal escasso e leitoso, mucóide ou purulento, disúria, urgência miccional.
    Quando não tratada, a gonorréia evolui podendo atingir outros tecidos e órgãos.


    Linfogranuloma venéreo

    Infecção sistêmica causada pela bactéria Chlamydia Trachomatis.Trasmissível essêncialmente pela relação sexual. PI: 3 a 32 dias. Surge uma pápula ou ersosão indolor que cicatriza em poucos dias.

    Cancro mole

    Transmissão predominantemente sexual. Infecção causada pelo bacilo Haemophilus Drucrey. Desenvolve-se no local da penetração do bacilo lesão ulcerada, purulenta e dolorosa.

    Molusco contagioso

    Agente: Pox vírus. PI: 1 a 6 meses. Característica: pápulas verrucosas, indolores de superfície branco perolada. Os locais mais atingidos são tronco, face e áreas genitais.

     Hespes genital

    Agente: Herpes vírus. PI: 1 a 26 dias. O Homem é o hospedeiro e FI única. Apresenta dois sorotipos HSV1 localiza-se preferêncialmente nos lábios e HSV2 localiza-se preferêncialmente nos genitais externos.

    Cadeia epidemiológica dos protozoários:



    Chagas

    Infectividade alta, patogenicidade baixa, virulência alta.
    Agente- Trypanossoma Cruzi. Reservatório: Homem e mosquito. Hospedeiro suscetível- Homem. Porta de entrada-percutânea e TGI. Transmissão: picada, ingestão. Porta de saída: Fezes do mosquito e sangue do homem.

    Toxoplasmose:

    Infectividade alta, patogenicidade baixa, virulência alta.
    Agente-Toxoplasma Gondii. Reservatório-Homem e felinos. Porta de saída-fezes. Transmissão-Ingestão ou congênita. Porta de entrada- TGI ou transplacentária. Hospedeiro suscetível- Homem.

    Malária

     Infectividade alta, patogenicidade baixa, virulência alta para Plasmodium Vivax, baixa para Plasmodium Falciparium.
    O quadro clínico típico é caracterizado por febre alta, acompanhada de calafrios, sudorese profusa e cefaléia, que ocorrem em padrões cíclicos, dependendo da espécie de plasmódio infectante.  Em alguns pacientes, aparecem sintomas prodrômicos, vários dias antes dos paroxismos da doença, a exemplo de náuseas, vômitos, astenia, fadiga, anorexia.

    Agente- Plasmodium Vivax / falciparium, Reservatório- Homem e mosquito PS- Sangue do homem, saliva do mosquito MT- Picada do mosquito PE-Percutãnea  HS-Homem

    Leishmaniose visceral:

    Os agentes etiológicos da leishmaniose visceral são protozoários tripanosomatídeos do gênero
    Leishmania, parasita intracelular obrigatório das células do sistema fagocítico mononuclear,
    com uma forma fl agelada ou promastigota, encontrada no tubo digestivo
    do inseto vetor e outra afl agelada ou amastigota  nos tecidos dos vertebrados.Os sintomas mais frequentes são febre e aumento do volume do fígado e do baço, emagrecimento, complicações cardíacas e circulatórias, desânimo, prostração, apatia e palidez. Pode haver tosse, diarreia, respiração acelerada, hemorragias e sinais de infecções associadas. Quando não tratada, a doença evolui podendo levar à morte até 90% dos doentes.
     Infectividade alta, patogenicidade baixa, virulência alta.
    Agente- Leishmania Danovani Reservatório- Homem, cães, raposas, mosquitos PS- Sangue dos mamíferos, saliva do mosquito MT- picada PE- percutânea HS- Homem


    Leishmaniose Tegumentar
    A LTA é uma doença infecciosa, não contagiosa, causada por diferentes espécies de
    protozoários do gênero Leishmania, que acomete pele e mucosas. Primariamente, é uma
    infecção zoonótica, afetando outros animais que não o ser humano, o qual pode ser envolvido
    secundariamente. Leishmania é um protozoário pertencente à família Trypanosomatidae (Anexo C),
    parasito intracelular obrigatório das células do sistema fagocítico mononuclear.
    As lesões podem ocorrer na pele e/ou mucosas. As lesões de pele podem ser única, múltiplas, disseminada ou difusa. Apresentam aspecto de úlceras, com bordas elevadas e fundo granuloso, geralmente indolor. As lesões mucosas são mais freqüentes no nariz, boca e garganta. Quando atingem o nariz podem ocorrer entupimentos, sangramentos, coriza e aparecimento de crostas e feridas. Na garganta, dor ao engolir, rouquidão e tosse.
     Infectividade alta, patogenicidade alta, virulência baixa.
    Agente- leishmania Brasiliensis Reservatório- Homem, mosquitos, roedores, cães. PS- Sangue dos mamíferos e saliva do mosquito MT- Picada PE- Percutânea HS- Homem


    Cadeia epidemiológica fungos:

    Criptococose

    Criptococose é uma zoonose oportunista, causada por uma levedura
    capsulada, sendo encontrada em solo, frutos e vegetais em decomposição,
    apresentando como reservatório fezes de aves, principalmente de pombos,
    e raramente a de morcegos. Por tratar-se de uma micose sistêmica profunda, seu quadro clínico
    pode variar conforme o órgão acometido. Quando o fungo atinge os pulmões,
    podem ocorrer três evoluções distintas: - Pode haver recuperação do
    organismo sem intervenção médica; - A doença pode ficar localizada nos
    pulmões; ou pode disseminar para os demais órgãos.
     Infectividade alta, patogenicidade baixa, virulência alta
    Agente- Criptococcus neoformans Reservatório- Homem, pombos, e solo PS- fezes do pombo MT- respiratória (inalação das fezes) PE- Trato respiratório HS- Homem

     Paracoccidioidomicose ou PB micose

    Infectividade alta, patogenicidade baixa, virulência alta.
    Agente- Paracoccidioides brasiliensis Reservatório- Morcego e solo PS- Fezes do pombo MT- Inalação, inoculção PE- trato respiratório, cutâneo HS-Homem













    Nenhum comentário:

    Postar um comentário